Quadrinhos de Fúria de TitãsAproveitando os últimos posts sobre o remake de Fúria de Titãs, vocês sabiam que em 2007 foi publicado uma série em quadrinhos baseado no filme?

Na verdade essa série é uma continuação dos eventos acontecidos no Fúria de Titãs original de 1891, e resgata os personagens que foram criados especialmente para o filme e não existem na mitologia grega, como é o caso do vilão Calibos, a coruja “robô” Bubo, e o monstro Kraken (que pertence originalmente a mitologia nórdica, não a grega).

É possível encontrar quatro edições dessa HQ, traduzidas para o português, para serem baixadas no site Vertigem HQ, especializado em scans. Essas quatro edições fecham uma história, e apesar de no final da última edição ficar um gancho para uma continuação, não sei dizer se outras edições foram realmente publicadas, ou são só essas quatro mesmo.

Há alguns erros de traduções nesses scans com relação a terminologia grega. Por exemplo, o tradutor confunde a palavra argivos (nome dado aos habitantes da região de Argos) com a palavra argonautas (nome dado aos heróis que seguiram com Jasão na nau Argo em busca do velo de ouro). Mas esses erros e confusões nos nomes não chegam a atrapalhar o entendimento da história, e no geral a tradução está muito bem feita – e por um trabalho feito de graça, não dá nem pra ficar reclamando. =)

No geral essa HQ é bem divertida, com bastante ação e aventura. Os desenhos também são muitos bons, com cenários muito bem detalhados e uma quadrinização bem dinâmica. Há também algumas passagens bem engraçadas, como na segunda edição em que Perseu parte em busca de seu filho (que foi raptado por Circe) junto com Hércules, e esse fica durante a viagem toda contando vantagem sobre seus feitos e trabalhos.

Para aqueles que conhecem de genealogia mítica, talvez estranhem o fato de Perseu aparecer ao lado de Hércules nessa história, já que o primeiro é bisavô do segundo (Hércules é filho de Anfitrião, que por sua vez é filho de Alceo, que por fim é filho de Perseu). Mas o autor da HQ parece tomar certas liberdades com relação a tradição mítica e literária da grécia antiga. Eu mesmo tomo várias dessas liberdades em Nova Hélade, até mesmo porque, no meu caso, eu estou reinventando a mitologia grega por completo, apesar de manter uma certa fidelidade a tradição, principalmente no que se refere a personalidade e o comportamento dos deuses, heróis e demais figuras míticas (como, aliás, recomenda Horácio em sua Arte Poética).

No entanto, algumas dessas “liberdades” tomadas pelo roteirista dessa HQ de Fúria de Titãs me incomodaram um pouco. Uma delas é na terceira edição, em que Circe liberta o monstro Tifão para combater contra Perseu. No entanto, a tradição mítica diz que Tifão, que combateu Zeus durante a gigantomaquia, era simplesmente o monstro mais poderoso que existia, e pai de diversos outros monstros. Tifão era uma força selvagem, furiosa e bestial, e portanto, não seria facilmente controlado por alguém, ainda mais por uma simples feiticeira como Circe.

Outra parte da HQ que eu achei incoerente com a tradição mítica é na quarta edição, em que Zeus liberta seu pai Kronos de sua prisão no Tártaro, e esse aceita ajudar Perseu. Eu achei isso muito forçado, pois Zeus nunca aceitaria libertar Kronos, e esse por sua vez, nunca aceitaria seguir as ordens de um mero mortal como Perseu, mesmo ele sendo um semideus, afinal, Kronos é um Titã, porra! E não qualquer Titã, mas o rei dos Titãs, o anax anquilometis.

Mas esses detalhes só incomodam a historiadores estudantes de grego antigo como eu, que são chatos e ficam caçando piolhos. =)
A maioria dos leitores não vai nem reparar nessas coisas, e vai se divertir muito com essa HQ.

Por fim, vale destacar que cada edição traz como bônus ao seu final algumas bonitas sketchs desenhadas pelo próprio Ray Harryhausen para o filme original de Fúria de Titãs.