Eros e Psiquê

Cada um dos quatro heróis havia sido amaldiçoado por um dos Primordiais. Teseu não podia sonhar, nem ao menos dormir, pois Hipnos lhe negara a entrada em seu reino. Aquiles não podia morrer, nunca sentiria a paz serena da lâmina de Tânatos e amargaria o sofrimento terreno por toda a eternidade. Hercules não era dono de seu próprio destino, nem uma das suas escolhas realmente importava, já estava tudo programado por Moros.
Mas a sua maldição, ponderou Perseu fitando a face andrógina de Eros, era certamente a pior de todas.
– Por que eu? – indagou Perseu. – Por que terei de viver toda uma vida sem nunca saber o que é o amor? Sem nunca saber o que é amar e ser amado?
– Desculpe – respondeu Eros. – Mas minha dádiva é para poucos.